menu
     
     
     
     
     
     
 
  
 
 
Agudos, 22/09/2019, 20:22


Seminaristas agradecem aos frades e benfeitores
Imagens: Ação de Graças pelos 60 anos de Agudos - 2010
Ação de Graças marca os 60 anos do Seminário
Sessão de Lançamento do Livro “Jardim de Deus”
ENTARDECER DE UMA HISTÓRIA
(fatos marcantes nos 60 ANOS - III )
(fatos marcantes nos 60 ANOS - II )
(fatos marcantes - I )
Jardim de Deus
Sessão solene abre comemoração pelos 60 anos do Seminário
Sua Missão: Seminário e Escola de Ensino médio
Memória dos que fizeram esta história II - Frei Walter Hugo de Almeida
Memória dos que fizeram esta história I - Frei Walter Hugo de Almeida
Central de Encontros - Frei Walter Hugo de Almeida
Jardim de Deus - Frei Walter Hugo de Almeida
Realidade e Recordação - Frei Walter Hugo de Almeida


Central de Encontros

Por Frei Walter Hugo de Almeida

Nesses trinta e cinco anos, após o Jubileu de Prata, o Seminário abrigou, acolheu um infinito número de encontros dos mais diversos tipos: Encontro de Espiritualidade; de Pastoral; de Catequese; de Teologia; de Formadores; de Educação; de Psicologia; de Entre - Ajuda, Vida Interior; de Pastoral Familiar; do Clero diocesano; de Comunidades Religiosas; da Família Franciscana do Brasil; dos Frades da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil; das Entidades da Conferência dos Frades Menores; dos Institutos de Leigos Consagrados; de Focolarinos. Diversos encontros de executivos de empresas; de treinamento de funcionários da indústria; Encontro de Prefeitos da Região; de Sindicalistas; Encontros artísticos, teatrais, musicais. Até mesmo, tem acolhido certos grupos não – religiosos, como Rosa Cruz; Rotary Clube; Revalorização da Vida, etc.

Verificando as Crônicas da Casa: elas registram estes encontros, com detalhes, sob o ponto de vista de número de pessoas. Desde 1975 – quando se celebrou o Jubileu de Prata, até aqui, as crônicas falam de mais de 500 encontros, aproximadamente, contemplando várias áreas do Campo de Dioceses e da Igreja do Brasil, sem contar os encontros de leigos, sem finalidade religiosa e eclesial, como favorecimento de nossas dependências, para eventos culturais, de horas apenas. Cabe mencionar o espaço cultural – nosso Salão Nobre – hoje reformado em suas lindas poltronas - onde o Seminário favorece diversos eventos educacionais, da cidade e da redondeza.

Após 1978, já se foi pensando na supressão do Ensino Fundamental (antigo Primeiro Grau), dada à diminuição de candidatos – fenômeno de todo o Brasil – e porque ainda a Província buscava também novas alternativas para o acompanhamento de candidatos, como, por exemplo, Aspirantado, para quem já tivesse terminado o Ensino Médio (antigo Segundo Grau); acresceu-se ainda um maior incentivo aos Seminários do Sul – Luzerna e Ituporanga. Hoje, Agudos conserva apenas o Ensino Médio, e mesmo assim, com número escasso. Partiu-se, então, para adaptações aos novos tempos, transformando o espaço da Casa, oportunizando esses Encontros, acima mencionados.

Reformou-se a Primeira Ala, em sua estrutura, dividindo o dormitório em quartos pequenos, de duas, quatro camas, com paredes próprias, para alojar encontristas. Aparelharam-se salas para assembléias maiores, conservando salas menores para grupos mais reduzidos. Construíram-se 26 apartamentos (suítes) bem montados.

Idêntica reforma deu-se na antiga hospedaria, transformando-a em área de encontros; construíram-se 13 apartamentos (suítes); criou-se ainda um ambiente agradável, inclusive uma sala-de-estar, com motivo artístico, obra de nosso Frei Benedito G. Gonçalves.
Precisou-se contratar funcionários fixos para sustentar a demanda dos encontros. Mister se fez destacar um frade para cuidar da coordenação e supervisão destes eventos; a burocracia aumentou, necessária se fez uma porteira para atendimento, secretária para agendar os eventos.

Estes encontros têm colaborado com a receita da Casa, da à alta manutenção e sustentação do Seminário. Atualmente, investe-se bastante na propaganda, através de folders, panfletos, etc. Segue-se ainda que o Seminário está incluído no circuito do turismo religioso e cultural da região. Mas, a melhor propaganda é ainda o atendimento, acolhida, e aquela de ouvido a ouvido...

O Seminário Santo Antônio é abençoado, pois nele tudo se pensou no passado e na atualidade, inspira-se na tradição dos frades pioneiros, de quem lembramos com gratidão e que, posteriormente, serão registrados neste espaço. Nesses últimos anos, muitas reformas, melhoramentos fizeram-se: Todo o telhado, calhas, foram reformados; cuidou-se da pintura geral; reforma dos pátios. Merece menção o visual excelente e prático que a cozinha recebeu nesses anos: Movida a vapor, agora também com as térmicas para conservar quente a comida; o espaço foi ampliado, a despensa melhorada, como também as câmaras frias; espaçosos e práticos armários para as louças em geral... Sem falar ainda das novas cadeiras do refeitório grande, confortáveis e feitas com madeira de lei: trabalho do exímio Mestre Marceneiro, Frei José Lino Zimmermann, acompanhado de seu discípulo, Frei Osmar Dalazen e Frei Enéas Marcelo Prestes de Oliveira.

Para o bem da Fraternidade, um corredor favorável a idosos e enfermos recebeu apartamentos montados para acolher nossos confrades; eles são constantemente cuidados, na parte da manhã e da tarde, por enfermeiros leigos. Nas demais horas, acompanhados pelos frades da casa e/ ou seminaristas.

O Seminário Santo Antônio vive na memória dos Confrades que por aqui passaram, ou como estudante ou como formadores, vivendo na Fraternidade, doando suas vidas, em prol do ensino, das vocações, ou gastando seus dias, na sustentação e manutenção da Casa. Recordamos os confrades que aqui chegaram para tratamento, convivência, e muitos partiram para a eternidade.
Lembramos os confrades que voltam a Agudos, para matar a saudade, onde viveram e serviram. Mencionamos os ex-seminaristas que aqui se reúnem, de tempo em tempo, para curtir o passado, e até colaborarem com incentivo e financeiramente com os candidatos ao ideal franciscano.

Constatamos nesses trinta e cinco anos, completando os sessenta, que o Seminário vive na memória não só dos frades, mas na vida de nossos ex-seminaristas, e eles trazem a marca registrada da formação que do Seminário levaram para o mundo. E hoje são testemunhas deste Jardim de Deus.

Registramos este testemunho de um grupo de ex-seminaristas, vivendo em Florianópolis, e que, periodicamente ali se reúne pra recordar Agudos. Quem relata é Celestino Galdino de Melo Neto:
• Agudos para nós é a Casa do Coração. Não temos como explicar e o que falar; somente quem ali viveu e cresceu sabe o poder e magia dessa Casa.
• Todos os Ex que encontramos, quando de Agudos falam, seus olhos brilham.
• Não sabemos como podemos agradecer o que recebemos. Deus foi bom demais para todos nós.
• A Casa, a convivência e o aprendizado com aqueles sábios mestres: Os Frades – Frei Gregório; Onésimo; José L. Zimmermann; Zeno Pauk; Barnabé Lima; Timóteo Setti; Geraldo Hagedorn; Ulrich Steiner; Walter H. de Almeida; Francisco Tomazzi; Osmar Dalazen; Leo Schmidt; Monsieur Claudino Dalmago; Lauro Both e o Órgão de Tubos e os seus ensaios para a Páscoa... Não podemos esquecer a criatividade na Campanha para o DCE, de Paulo R. Pereira, contemporâneo meu naquela época.
• Celestino, em nome do grupo, traça o perfil de cada um, o jeito, e com pormenores, externa a sabedoria de cada um, a cultura, e o quanto aprenderam desses confrades, mestres da alma e da cultura.
• Lembra ainda a Casa, seus aspectos físicos, o entorno, a paisagem bucólica do Seminário, e ainda as atividades manuais e culturais da Casa. Dedica a todos os frades elogios e gratidão.
• E assim, diz ele, Agudos continua a Graça das Origens.

pe
| Voltar |

[Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil] - Copyright © 2011 Franciscanos.org.br
Todos os direitos Reservados.